Uma leitura do filme Gangues de Nova Yorque – perspectiva da origem da democracia

 

O político e o social como dois grandes eixos narram a epopeia da Nova Yorque em 1846 na história da origem da democracia na América, mas ao invés de se manter na visão dos grandes nomes da história,  o diretor Martin Scorsese desloca a narrativa centralizada nas versões oficiais para focar na agitação popular e nas várias camadas que se entremeiam entre as rivalidades sociais e a formação da legalidade a partir desse embate.

A começar por esse motivo a obra do diretor Martin Scorsese pode ser considerada valiosa: se considerarmos arte o que dá materialidade à intensidade para que possa a partir abrir o sujeito a uma outra alteridade ao deslocar a percepção e forçar a descolar-se de si mesmo… Gangues de Nova York abre um novo paradigma quando foca os acontecimentos que deram à modernidade o caráter de globalização e de multiplicidade de culturas: a coexistência de duas esferas, uma macro e outra microssocial,  na formação da democracia na América, no coração de Nova York.

Se as gangues recheavam as ruas de Nova Yorque em 1846 o que se vê é que conforme a história da cidade se funda na modernidade ela também institucionaliza essas forças conflituosas, inclusive cooptando-as, como no caso de membros das gangues que se tornam corpo das corporações, dos bombeiros por exemplo. Inclusive a morte e a vida são institucionalizadas no berço dos processos civilizatórios pelo recrutamento da guerra que seguem os mesmo discursos nacionalistas-territorialistas como as disputas entre as gangues…

No berço da civilização moderna nasce a velocidade dos transportes e dos meios de comunicação, a fluidez das populações. Mas mesmo tempo essa velocidade traz a proximidade traz a dificuldade de comunicação e entendimento entre povos de diferentes culturas colocados num mesmo território, uns como nativos e outros imigrantes.

Essa tensão é a linha condutiva do começo dos tempos modernos na cidade como se fosse uma disputa entre as esferas do poder e do povo, não um contra o outro, mas na medida em que é na fundação da legalidade e de suas institucionalizações que a marginalidade também é demarcada. Há uma graduação entre o que é legal e o que é ilegal,  essas camadas intimamente e fazendo do seu relacionamento aquilo que será a sociedade.

Nesse aspecto do filme dá-se ao discurso da nova nação na crença da liberdade e igualdade entre os homens ao mesmo tempo que a violência nas ruas se dá justamente na tentativa de se preservar contra alteridade, contra o outro que invade, fazendo dividir a riqueza, a propriedade e as chances de trabalho.

A democracia tem entre suas características de origem uma concepção individualista, no qual o todo precede as partes,  é uma composição coletiva no qual cada um que a compõe decide o que ela é, e a sociedade política, por conseguinte,  é produto da vontade individual soberana.

Se na atualidade a democracia assim se define: “o povo dividido de fato em grupos contrapostos” (BOBBIO, 2015:45) que tomam decisões com base nos próprios interesses e estes, por sua vez espelham a vontade geral encontramos coerência naquilo que Norbert Bobbio apontou como as dificuldades para a manutenção da democracia, como manutenção dos grupos oligárquicos no poder, quase sempre atrelados à lei. A liberdade deixando aqui seu lado conceitual assume caráter de consequência natural da sua relação com a concessão dos direitos, pois, como diz o autor: “a única garantia de respeito aos direitos de liberdade está no direito de controlar o poder ao qual compete esta garantia.

Uma boa gama de reflexões pode trazer sobre a formação democrática em seu solo mais fértil…

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s